segunda-feira, 14 de março de 2016

Impressões sobre a primeira Liga Teresinense de X-Wing: Jogo de Miniaturas ou Foi Foda

Por Ícaro Igreja
 
Foi foda. Foi bem foda. A liga nem acabou ainda, mas já foi foda. O caráter casual foi mantido, mas nem por isso não houve competição. E que competição. Queria poder falar por todos os jogadores, mas como esse texto é em primeira pessoa, só vou falar por mim. E repito, foi foda!

Preciso fazer um pequeno “background” sobre minha experiência em X-wing pra vocês entenderem. Eu nunca tinha ganho uma partira antes, e tinha jogado menos de dez partidas, mas mesmo assim entrei na liga, por que sabia que seria uma experiência única. E foi. E foi foda!

Minha lista era composta das naves que eu tenho, sem nenhuma carta emprestada, isso pelo fato de ser inexperiente e sempre acabar esquecendo de usar todas as opções que tinha acesso. Uma A-Wing, uma X-Wing e uma Y-Wing. Rebelião, sempre. O objetivo dessa lista foi herdado dos meus tempos de MMRPGO, um “tanque”, um “batedor” e um “suporte/esquiva”, e assim eu fui contra meu primeiro oponente, o Dr. Evil em pessoa, Hugo Quincas Borba, com uma lista Scum Caga Minas.

Essa partida desenrolou-se como todas as outras que eu já havia jogado antes, muitos erros de pilotagem, muitas batidas, muita taca. Perdi por 100 x 0. Mas foi justamente nessa partida que eu finalmente compreendi alguns dos fundamentos do X-Wing, finalmente vi como utilizar minha lista e finalmente consegui traças estratégias prévias, escolher movimentos coordenados e ataques planejados.

Aprendi que X-Wing é um jogo de dados, pura e simplesmente, mas quando jogamos de um jeito diferente, conseguimos diminuir o fator sorte. Mas quem dera tivesse tido essa compreensão antes, ou pelo menos durante a partida, por que se eu tivesse feito uns pontinhos contra o Hugo, talvez teria passado de fase. Mas mesmo assim, Foi Foda!

Dias depois da minha sova em favor do Hugo, fui ao meu segundo desafio, Pedro Victor Rolf, ou como eu gosto de chamar, PV da Pochete. A lista dele era de Rebelião, e só diferia da minha em uma nave, no lugar da A-Wing ele usa uma B-Wing. Nossa partida foi bem interessante, e logo no início eu percebi que o verdadeiro perigo era a B-Wing, e com minha A-Wing a distância, coloquei a Y-Wing pra caça-la. Enquanto isso tinha o mirror match, Wedge vs. Wedge. Nesse eu levei vantagem por ter colocado instintos veteranos no meu, o que me fazia atacar primeiro sempre. Depois de algumas rodadas de movimentação, poucas batidas, eu tinha a Y ionizando a B seguidamente, a X atacando a Y em distância 1 (quatro dados de ataque contra nenhum de defesa) e a A atormentando a X dele, tirando o foto da minha X. Mais algumas rodadas depois a B tinha caído, a Y também e só restava X contra X. E contra a Y. Pouco depois eu derrubei o Wedge dele, e ganhei não só minha primeira partida da liga, mas também minha primeira partida de X-Wing! E foi Foda!

A próxima partida foi conta a Carrasca, a atual vice-campeã, Anne. Ela usava uma lista semelhante a do Hugo, e eu temia ficar preso novamente entre os malditos Zs da Scum. Minha tática nessa foi novamente mandar a Y escoltando a X, só que dessa vez a A foi arrastando o Bobba Fett pra fora do combate, foram mais de 5 rodadas de caça ao rato, e os Retropropulsores somados a Forçar os limites e a habilidade do Tycho de poder usar ações mesmo estressados em garantiam finalizar a movimentação com Foco e Esquiva. No fim a A novamente cumpriu seu papel e garantiu que o Wedge tivesse um tempo a sós com a Y da Anne. E mais uma vez quatro de ataque contra zero de defesa. Essa partida Ganhei no tempo, pois o maldito mercenário mandaloriano escapou. E foi Foda!

No fim o meu futuro dependia da partida entre Hugo e Anne, e com a vitória do Hugo sobre ela, fiquei de fora das quartas de final.

Não me classifiquei, mas mesmo assim... Foi Foda!

E que venham mais!